Revista TH Agosto / Setembro 2018

12 • A Revista Oficial da Terapia Holística O sentimento é a diferença entre o que é mental e o que é comportamental. É a experiência do corpo mental revelada pela resposta, em extensão variável, do sistema orgânico a um estímulo. Você pode ver uma reação, pode ver a aparência, o comportamento etc., entretanto, o sentimento você não pode ver. Não existe um lugar em que aprendemos a pensar sobre os nossos pensamentos ou desafiar nossas ideias, ainda que os pensamentos estejam sempre conosco. Todo pensamento envia um sinal elétrico que atravessa o cérebro, ou seja, os pensamentos têm verdadeiras propriedades físicas e são reais! Controlar e dirigir os pensamentos de maneira positiva é um dos elementos mais eficientes para se sentir melhor. (AMEN,2005). O Sentimento pode ser considerado como uma busca de valores pessoais para avaliar as informações perceptuais que consideram o que se sente em relação a alguém ou a uma situação, ou seja o nosso estado interno e a nossa experiência particular. Os sentimentos e as emoções são ligados a estrutura do pensamento e não podem ser apartados dele. As pessoas insensíveis são as mais desligadas dos sentimentos, e algumas constroem uma couraça para se proteger de experiências emocionais que não conseguem tolerar. Podem adotar defesas para repelir sentimentos dolorosos, como se lançar em atividades frenéticas ou arrumar um retiro intelectual. (MUSIC, 2005). Conhecer os próprios sentimentos e movimentos pode estimular a nossa experiência no buscar razões para os nossos comportamentos. Alguns sentimentos são efêmeros, enquanto outros, tem intensidade e são capazes de nos dominar, haja vista que os fatos tem o condão de nos revelar. A mente inconsciente, mediando a psique consciente e o soma, retém os processos de pensamento imagético visuais e holísticos do hemisfério cerebral direito. (MOLLON,2005). A emoção é o equivalente de afeto na linguagem cotidiana, tendo um caráter mais objetivo que sentimento. Falamos em observar uma reação emocional numa pessoa, e já se afirmou que o local da emoção é o corpo, ao passo que o sentimento é a mente. Mesmo assim, as pessoas referem-se tanto a uma experiência emocional como a uma experiência afetiva. Dada a imprecisão dos limites desses conceitos (emoção e afeto), serão aqui usados como sinônimos, muito embora se trate de uma certa simplificação. (MUSIC,2005). O Psicoterapeuta deve compreender a influência de sua personalidade. Ou, melhor, a que ele exerce sobre o cliente, pois isso acontece espontânea, natural e inevitavelmente. Entretanto, deve suprimir os aspectos do entusiasmo que poderiam ser perniciosos ou criar obstáculos ao atendimento terapêutico, enfatizando ou mesmo desenvolvendo, se ausentes, as influências que são construtivas e úteis para a terapia. (ASSAGIOLI,1970).

RkJQdWJsaXNoZXIy MTUyMjQy