Revista TH Agosto / Setembro 2018

A Revista Oficial da Terapia Holística • 9 Alguns objetivos emergenciais: a) Aceitar cada pessoa como ela é; b) Concretizar e especificar os objetivos; c) Mensurar os objetivos; d) Fixar prazos: curto, médio e longo; e) Compatibilizar os objetivos; f) Estímulos para alcançá-los; g) Documentá-los; h) Realiza-los. O empreendedor vital desempenha um papel essencial dentro da estrutura da organização humana (empreendimento vital). Espera dele, ainda que nada/ ninguém o incomode porque ao entender o que foi transmitido, que este empreendedor vital desempenhe as funções clássicas e básicas das características mobilizadoras: a) Informar-se - (conhecimento da realidade) tanto dos problemas internos como da evolução do ambiente exterior (o que se poderá prever?). Tambémdeveráestar informadodas diretrizes ou políticas que provém do staff (hierarquia) e dos dados ou comunicações que previnem os subordinados (aqueles que não perceberam ainda o que seja um empreendedor vital) das situações que eles têm que enfrentar no empreendimento vital. b) Decisão – estabelecer, negociando com os pares os objetivos. Escolher entre as distintas opções a que conduz a uma ótima utilização e desempenho (porque cada empreendedor vital tem um indicador de melhor desempenho) para alcançar os objetivos `perseguidos ́. c) Organização – colocar em ordem os recursos disponíveis, sempre limitados definindo as responsabilidades de cada um. Estabelecer os programas de como empreender a vida nos âmbitos pessoal e profissional, determina-los e defini-los para o alcance final das METAS SMARTS. d) Conduzir pessoas – liderança. e) Monitoramento sistêmico (Planejamento) – medir e avaliar o executado. Fazer análise das causas eventuais de insucessos. f) Tomada de decisões assertivas – Tanto para o empreendedor vital quanto para o empreendimento, é necessário estabelecer um sistema de avaliação do desempenho como se reunisse os valores vivenciados pelas pessoas enquanto realizam as atividades; pelo menos uma vez ao ano reunirem-se para análise e discussão de como caminhar em conjunto e averiguar as queixas, e os pontos que foram positivos e os negativos, este é o propósito do HOLÍSTICA. g) O que fazer quando o líder é um chefe? O líder é uma pessoa que mais estimula no aspecto operacional e lógico sobre o seu desempenho e sobre o seu êxito. Convém que você dedique atenção, tempo e esforço para propiciar o êxito do gestor (pode ser nós mesmos quando se tratar da gestão da nossas vidas) sobre o resultado empreendedor. Saber o que ele espera de você, o que deseja de você, o que você percebe sobre o ritmo de sua vida, o seu trabalho ficará mais seguro. É também de seu interesse defender os pontos de vistas dele quando você acredita que existe coerência, proteger os prestígios das pessoas que apresentam os `egos ́ vaidosos. Isto supõe que deve tratar de evitar falhas para não prejudicar o empreendimento, o que por qualquer motivo, tenha um deslize ou que caia no ridículo de um enfrentamento desnecessário.

RkJQdWJsaXNoZXIy MTUyMjQy